Vida

Outra vez falando em paciência…

Mylena-Gama-A-Terapia-de-AliceMuitas pessoas passaram por mim desde o término do meu antigo relacionamento – é certo que as vezes eu penso que se fosse amor não iria ter fim, mas teve, talvez não tenha sido o grande amor da minha vida, mais foi um grande amor. Algumas dessas pessoas tiveram a oportunidade de me conhecerem melhor, souberam das minhas manias e gostos. Algumas dessas pessoas ficaram um bom tempo caminhando comigo. Algumas nem sei mais onde estão. E algumas outras, bom, nem faço questão. Já faz um bocado de tempo que escolhi ficar sozinha e ver a vida com um pouco mais de calma. As dores, em certos casos, nos fazem repensar muitos planos, pensamentos e sonhos. Me tornei mais seletiva, paciente e, digamos que sábia também, como dizia Caio Fernando Abreu: “É só se manter longe. Longe, bem longe. Que longe nada afeta. Ou quase nada”. Não é um dos melhores conselhos, mas é uma opção prévia para quem deseja algo eterno e não passageiro. Olhar de longe e analisar bem, pois quem vem para ficar, vem de um jeitinho todo especial, mas só conseguimos observar se tivermos a paciente de olhar os pequenos detalhes, aqueles que quase ninguém vê e que fazem uma baita diferença.livraimesenhorEscolher esperar por um amor, e dessa vez um amor que caminhe para sempre ao meu lado, não está sendo fácil. Dentre todas as pessoas que conheci até então, pude notar que quase ninguém mais tem a paciência de esperar. Atropelam-se em suas próprias pressas e não mais conseguem sentir a essência e a nobreza que é amar alguém. Pode ser que você se pergunte, “e por que o teu antigo amor não deu certo?”, e eu digo que, alguns amores passam por nós para nos ensinar alguma lição e se vão, e por mais doloroso que venha ser, temos que entender que a vida, as vezes, só está querendo mostrar que o melhor ainda está por vir. Peço todos os dias a Deus sabedoria para distinguir quem é quem, e se vale a pena se entregar, talvez eu faça isso por medo ou por precaução, mas das duas uma, eu espero. Já disse que não quero alguém idealizado, afinal, somos seres humanos falhos demais para tal, porém, quando falo de amor, espero ter alguém que deseje ser amado e fazer recíproco todo o sentimento.faca-que-tem-que-fazer-blog-a-terapia-de-aliceE entre esse processo de espera, espero também que a maldade do mundo não seja capaz de torna-me fria e insensível, fazendo-me desacreditar nas coisas do coração. Eu escolhi estar sozinha por querer organizar tudo aqui dentro de uma forma que se torne interessante e aconchegante morar em meu peito, podendo assim me transformar em uma casa de bons sentimentos, sem receios, sem mágoas, e principalmente sem medo. Eu não sei quando, onde ou como alguém irá chegar e se aproximar, mas eu espero que ele tenha a paciência de ver junto comigo o que a vida quer desenrolar para nós dois, porque tudo tem seu tempo. Todo sentimento, por mais misterioso que seja, quando aproveitado passo a passo, torna-se gostoso de se desvendar do contrário daqueles que se extrapolam até se machucarem. Sejamos pacientes, a vida cuida de gente que sabe esperar.

{Só para ressaltar, faz bem por demais escrever aquilo que está de fato em nossos corações.}

Tempo certo

 

 

Anúncios

2 comentários em “Outra vez falando em paciência…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s